Colégio Militar muda comportamento de alunos

Recentemente o governo anunciou que o colégio da polícia militar será instalado em Cornélio Procópio. Ele começará a funcionar em 2019 seguirá as diretrizes das duas primeiras: de Curitiba, onde existe há quase 60 anos, e de Londrina, a primeira cidade do interior do estado a contar com uma unidade.

O 2° CPM iniciou as aulas em fevereiro com quase 400 alunos, entre os que já estudavam no Colégio São José, na zona oeste, onde foi instalada a unidade, e os que prestaram concurso, como ocorre na unidade em Curitiba. Estudantes de Londrina e também de cidades como Cornélio Procópio, Cambé, Jaguariaíva, Ibiporã, Apucarana e Cambé foram aprovados. Todos os alunos que estavam matriculados no antigo Colégio São José tiveram a opção de continuar, sem necessidade de realizar concurso, ou pedir transferência para escolas da região.

“Em pouco tempo, os resultados apareceram. Ouço constantemente diversos relatos da mudança de comportamento dos alunos, que antes, infelizmente, não tinham respeito pelos funcionários e professores. Hoje, com a mudança para o Colégio da Polícia Militar, esses mesmos alunos aprenderam a valorizar e respeitar a equipe. Essa transformação também vai além dos muros do colégio, os alunos aprenderam a ter mais respeito pelos pais e a ajudar mais nas tarefas de casa. A mudança positiva de comportamento é nítida, mesmo com poucos dias de aula. “, comentou o deputado Tiago Amaral que, além de levar a unidade para Londrina, acompanha de perto, participando das atividades do colégio.

Assim como ocorrerá em Cornélio Procópio, em Londrina o colégio foi instalado em uma região carente que necessita de uma transformação na comunidade. “Esse foi um projeto COM a comunidade do jardim Leonor e não PARA a comunidade. Por isso, levamos um grupo de pais, alunos e pessoas da comunidade para Curitiba. Eles conheceram a estrutura do Colégio da Policia Militar e conversaram com os professores. As pessoas se sentem orgulhosas em morar no bairro onde foi instalado o colégio, orgulhosas da transformação que perceberam em tão pouco tempo no prédio, com as reformas que estão sendo realizadas, e nas crianças e adolescentes que vivenciam no dia a dia o resgate de valores, respeito e responsabilidade”, comentou Tiago Amaral.

Como funciona – A grade curricular e os professores continuam vinculados à Secretaria de Estado de Educação. O que muda é a gestão da escola, que passa a ser de responsabilidade da PM.  “A proposta não é de militarização da educação, é uma proposta de gestão pela Polícia Militar. O colégio passa a ser um Órgão da Polícia Militar que segue os preceitos didáticos e pedagógicos da secretaria de educação, guiada por princípios como resgate de valores, respeito e responsabilidade”, explicou Amaral.

Excelência de ensino – O Colégio em Curitiba é reconhecido em todo o país pelo ótimo desempenho de seus alunos em provas como Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e em vestibulares como da Universidade Federal do Paraná. Alcançou média de 6,8 no último comparativo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), enquanto média estadual é de 4,6 pontos e tem a nota mais alta entre todos os colégios militares do país.

Categorias: Destaques,Região

Tags: ,,