Advogado de acusado de matar Mauro dão entrevista ao CN

Ricardo Sanches Vieira de Camargo, 32 anos, principal acusado de ter matado Mauro Lucas da Costa, 29, com três tiros na noite de terça-feira (21), se apresentou na tarde de quinta-feira (23), na Delegacia de Polícia Civil de Jandaia do Sul, acompanhado de seus advogados Marcelo Bulgarelli e Isaltino Felício, do escritório Bulgarelli e Felício Advogados de Mandaguari.

Com a sua apresentação, o delegado de Jandaia ouviu Camargo, que confessou ter praticado o crime, entregou a arma, e se colocou à disposição da Justiça. O Correio de Notícias, conversou com exclusividade, com os advogados do acusado, que repassaram trechos do depoimento.

“O que o nosso cliente relatou foi que estavam em um churrasco na casa do irmão de sua namorada. Os participantes estavam tomando cerveja e ocorreu uma brincadeira entre os rapazes, sendo que um disse que tratava a mulher assim e mostrando o braço [com violência]. O Ricardo comentou com os rapazes de que não gostava de homens que batem em mulheres, e que já havia desmaiado alguns. Logo após brincou, mostrando a sua cinta, mas não passou de brincadeira”, comentou Bulgarelli ao ser questionado pela reportagem.

Após a brincadeira, de acordo com Ricardo, a briga tornou-se generalizada. “Com isso, o irmão de sua namorada partiu para cima do meu cliente, dando um soco, derrubando no chão, com ajuda de Mauro e outro rapaz, deixando hematomas em suas mãos e principalmente em seu olho. A namorada tentou apartar a briga, porém o próprio irmão deu três tapas em seu rosto. Tudo por conta de uma brincadeira, que não teve graça nenhuma”, relatou Isaltino.

Com a confusão, o casal foi embora. A namorada em um carro e o Ricardo em outro. “Meu cliente deixou a caminhonete em sua casa, pegou a moto, e estava indo para a casa da namorada, mas revolveu voltar no local onde acontecia o churrasco, para pedir desculpas e pegar a cerveja que tinha comprado minutos antes de se iniciar a confusão”, disse Isaltino

No momento em que chegou no local, os rapazes que estavam no churrasco começaram a cercar Ricardo e ocorreu outro entrevero. “Ele tentou se desculpar, pegar a cerveja e ir embora, mas os outros participantes da festa não quiseram papo, e o Mauro tentou ameaçá-lo, e quando foi sacar a arma, Ricardo usou de seu revólver e deu três tiros, que acertaram e que culminou na morte de Mauro”, comentou Bulgarelli.

Ao ser questionado, sobre Ricardo andar armado, o advogado foi enfático. “Ele é advogado criminalista, já recebeu diversas ameaças veladas, tem o registro da arma, e anda armado para tentar se proteger. Ele não foi buscar o revólver na sua casa, ele já estava armado antes mesmo de chegar na festa. Quando o Mauro fez sinal de que estava armado, mostrando o volume em sua camiseta, a única reação que teve foi de se defender, pois estava cercado”, finalizou Bulgarelli.

Ricardo ainda revelou aos advogados que está à disposição da Justiça, que tem várias provas que comprovam que agiu em legítima defesa, e que aguarda a conclusão do inquérito policial, respondendo em liberdade.

Alguns dos hematomas que o trio deixou ao agredir Ricardo
Alguns dos hematomas que o trio deixou ao agredir Ricardo

Categorias: Destaques,Região

Tags: ,,,,,,,,

error: Content is protected !!