Boate Azul foi escrita em Apucarana

Uma das músicas de maior expressão do estilo sertanejo é Boate Azul. Vários artistas gravaram a canção composta por Benedito Seviero. Sucesso nas vozes de Joaquim e Manoel, Bruno e Marrone, Mato Grosso e Mathias, entre tantos outros. Sem contar que, nos barzinhos com som ao vivo, em todos os shows os cantores são “obrigados” a cantar Boate Azul.

O história da música, desta terça-feira (14), conta como foi escrita a canção, que foi escrita em uma boate, com o nome da música, em Apucarana, cidade próxima à Mandaguari.

De acordo com Seviero, a música foi escrita no dia 3 de junho de 1963. “Eu já fazia sucesso com as músicas que eu escrevia. Fui convidado para fazer um grande show na Boate Azul, em Apucarana. Porém no dia, o Papa João XXIII morreu, e tudo ficou parado, não aconteceu o show na boate”, comentou o compositor.

“A turma que estava esperando o show estava todos de ‘fogo’, e não tinham para onde irem, pos estava tudo fechado, devido à morte do papa. Foi ai que eu tive a ideia de escrever a Boate Azul”, explicou.

Devido ao Regime Militar, a música foi censurada, ficando mais de 20 anos “na gaveta”, e somente nos anos 80 que foi gravada pela primeira vez, sendo um dos sucessos da música sertaneja.

Doente de amor procurei remédio na vida noturna
Como uma flor da noite em uma bote aqui na zona sul
A dor do amor é com outro amor que a gente cura
Vim curar a dor deste mal de amor na boate azul
E quando a noite vai se agonizando no clarão da aurora
Os integrantes da vida noturna se foram dormir
E a dama da noite estava comigo também foi embora
Fecharam-se as portas sozinho de novo tive que sair
Sair de que jeito, se nem sei o rumo para onde vou
Muito vagamente me lembro que estou
Em uma boate aqui na zona sul
Eu bebi demais e não consigo me lembrar se quer
Qual é o nome daquela mulher
A flor da noite da boate azul

Categorias: Destaques,Geral

Tags: ,,,,

error: Content is protected !!